Trazendo o acaso para casa – passo a passo

A quarta proposta de exercício do curso foi escrever uma instrução para provocar o acaso em casa.
Leia abaixo algumas dessas instruções. Aproveite para fazer a quinta proposta de exercício: escolher uma das instruções para provocar o acaso, colocá-la em prática seguindo o passo a passo, e escrever um relato sobre os procedimentos seguidos e os resultados alcançados.


Instruções para viver um amor tórrido (sem sair de casa)

  1. Posicione-se diante de uma estante ou móvel com livros.
  2. Feche os olhos.
  3. Aquiete a mente.
  4. Deixe chegar até você a lembrança de uma pessoa que tenha desejado ou amado, ou que ainda deseje ou ame.
  5. Evoque internamente o nome desta pessoa, deixe o nome dela te tomar por alguns instantes.
  6. Pince a primeira letra do nome desta pessoa.
  7. Abra os olhos.
  8. Inicie o alfabeto, considerando o primeiro livro do canto superior como a letra A, siga nomeando cada livro com as letras subsequentes do alfabeto até chegar à letra que corresponde à primeira do nome da pessoa em questão. 
  9. Pegue o livro correspondente à primeira letra do nome desta pessoa e, de susto, abra o livro numa página aleatória.
  10. Leia silenciosa e atentamente a página. Observe que serão reveladas mensagens importantes sobre a relação entre vocês.
  11.  Em seguida, observe se a primeira letra do nome da pessoa corresponde à primeira letra da página. 
  12. Em caso afirmativo, entre em contato com a pessoa, leia a ela a página do livro em questão e diga que a ama. Sim, você a ama, assuma para si e para ela!
  13. Em caso negativo, entre em contato com a pessoa, leia a ela a página do livro em questão e diga que tudo não passou de um grande mal entendido.
  14. Por fim, caso a primeira letra do nome da pessoa esteja grafada em algum outro lugar da página (que não a primeira letra da página), troquem nudes imediatamente. 

Comunicação ao acaso

Quantos amigos você tem na sua lista de WhatsApp? Com quantos deles você conversou no último mês, no último ano? Pode contar nos dedos das mãos? De uma das mãos? Quais você tem negligenciado por falta de tempo ou preguiça? – por briga?

Vamos melhorar isso? Esse será um dia diferente. Siga as instruções.

1) Coloque em uma sacola os nomes dos seus amigos que estão na lista do WhatsApp – só daqueles com os quais você não fala há mais de 6 meses;

2) Sacuda bem a sacola;

3) Você deve sortear três nomes ao longo do dia – um pela manhã, um na hora do almoço e um à noite – o que for sorteado não volta para a sacola;

Atenção – respeite o sorteio.

4) Ligue para cada uma das pessoas. Não pode ser mensagem;

5) Não revele o jogo, a pessoa pode se ofender e, afinal, o acaso agiu. Apenas deixe a conversa fluir. Aproveite o momento.


Instruções para fazer a leveza irromper ao acaso

Corte três pedaços de papel de tamanho suficiente para guardar seus sonhos.

Escreva nos dois primeiros uma palavra que remeta à sensação de leveza.

Sem repeti-las para que permaneçam leves.

Use cores diferentes: uma que você goste e outra nem tanto.

Coloque os dois papéis embaixo do seu travesseiro.

Deixe o terceiro pedaço de papel em branco em algum lugar próximo.

Intencione que ao acordar a primeira cor que lhe venha à imaginação seja o branco.

Abra os olhos e fique por alguns minutos olhando para o teto.

Respire e faça pequenos movimentos circulares com as mãos e com os pés, bem lentos.

Caso lembre dos seus sonhos, pegue um dos papéis e leia a palavra em voz alta, vista-se com a cor correspondente. Pode ser que seja a cor que você goste ou nem tanto. Dependendo da cor, escolha uma música que você goste ou nem tanto. Dance com essa folha de papel.

Caso não lembre dos seus sonhos, pegue o pedaço de papel em branco, escreva uma palavra relacionada a um sonho que deseja realizar, vista-se de branco. Use esse pedaço de papel para produzir diferentes sons, leves e coloridos. Dance ao som do seu sonho.


Piada ou poesia?

Instruções para fazer alguém sorrir:

Pegue um envelope, um papel em branco, uma caneta e uma moeda de qualquer valor.

Jogue a moeda para o alto e pegue-a de volta. Abra a mão e veja qual face aparece.

Se for cara, escreva no papel a piada mais engraçada que você sabe.

Se for coroa, escreva a poesia mais linda e inspiradora que você conhece. Não deixe de indicar a autoria.

Perto do rodapé do papel, escreva: “Se você sorriu depois de ler, deixe esse papel em local público para dar a mesma chance a outra pessoa. Pode ser um banco de praça, um banco de metrô ou trem, um balcão de loja, um caixa eletrônico etc. Se quiser comentar, visite o blog escreverparaviver.com.”

Dobre o papel e coloque-o no envelope. Na frente do envelope, escreva: “Para sorrir...”. No verso, escreva “Remetente: blog Escrever para viver (escreverparaviver.com).

Repita todo o procedimento três vezes. Feche o envelope e entregue para as três primeiras pessoas que encontrar em sua casa. Pode ser um amigo, um parente, ou mesmo o entregador da farmácia ou do supermercado.

A ideia é causar leveza e alegria no leitor. Mas será que alguém lhe agradecerá por essa boa surpresa?


Uma letra para guiar o seu dia

De olhos fechados, escolha aleatoriamente um livro na sua estante. Qualquer um. Pode seu um romance, um livro de ensaios ou poesia. Vá até a página 15. Na página 15, vá até a terceira linha. Na terceira linha, vá até a terceira palavra. Na terceira palavra, vá até a terceira letra. Pronto. Agora você vai fazer uma lista de verbos e substantivos que começam com essa letra, 15 palavras no total. Em seguida, você vai tentar viver o seu dia em torno dessas palavras. Ou seja, tente realizar o máximo de ações com os verbos e substantivos listados. Depois me conta como foi?


Sonho molhado ao acaso

Você acordou agitada com lágrimas nos olhos. Levantou e ouviu o barulho de água. Com certa desconfiança (sonho, pesadelo ou acaso?) chegou na sala e o som era de cachoeira. Ouviu os gritos de duas mulheres vizinhas. Lembra? A sua caixa de lenços já estava vazia.

O aguaceiro que viu pela janela vinha da rua e entrava no prédio aos borbotões descendo as escadas. Você mora no 1º.andar e as vizinhas no subsolo. As águas no corredor cobriam os pés, depois escalariam as pernas e quem sabe, chegariam aos joelhos. Abrir a porta significava molhar os seus ninhos, as suas asas. Como dar limite ao rio que tudo arrasta?

Com vassouras e rodos você e as duas bruxas vizinhas resolveram jogar varetas. Quem pegasse mais varetas teria incumbência pelas cores: se fossem vermelhas, abriria a porta da sua casa para ver o que aconteceria; se fossem azuis, a vítima aquática berraria por socorro; se fossem amarelas, a vencedora abriria a sua porta, pegaria as chaves das portas das vizinhas. Para você o melhor seria abrir as com-portas, vassourar e puxar as águas com o rodo cantando: “a água vai rolar, garrafa cheia eu não quero ver sobrar”. Vai que cola. Ou que molha todo o corpo. Afinal de contas, “a água lava lava lava tudo, a água só não lava a língua desta gente”.


Quem não está inscrito no curso, mas quer embarcar na proposta e compor o coletivo de criação, basta acompanhar as postagens do blog e do Instagram (@roteirosminimos) e fazer os exercícios propostos, enviando-nos para publicação.

2 comentários em “Trazendo o acaso para casa – passo a passo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: