oratório

DARDOT, Marilá. Ir y volver. Performance view: XIII Bienal de La Habana, Matanzas, 2019

Que livros te dão esperança?

“[O] desejo amoroso se dispersa entre vários sujeitos, permitindo que cada um tenha a sua chance, pois se estivéssemos todos apaixonados pelo mesmo ser, que suplício – para nós e para ele! O mesmo ocorre com os livros e os fragmentos de livro: há uma Disseminação do Desejo, e é nesta medida que há apelo…

leia mais

“são muito bonitos os romances, mas não precisamos respeitá-los à risca”

Umas das inspirações para o nosso curso é o trabalho da artista francesa Sophie Calle, que experimentou dar o salto da literatura para a vida, ao executar trabalhos artísticos descritos no romance Leviatã (1992), de Paul Auster. No livro, os trabalhos são atribuídos a Maria Turner, personagem fictícia que, por sua vez, fora inspirada em Sophie Calle.…

leia mais

“você é muito grosseiro a meu ver: você não sabe desaparecer vivendo pequenas experiências”

O subtítulo do nosso curso é “roteiros mínimos para deslocamentos sutis”. A ideia de sutileza aqui remonta à distinção nietzschiana entre feridas sutis e feridas grosseiras. Nesse sentido, recomendamos a leitura do ensaio “O corpo que não aguenta mais”, de David Lapoujade, em que o autor dialoga com Nietzsche para afirmar que a potência do corpo…

leia mais

uma comunidade provisória e ativa

“Nessas circunstâncias, a verdadeira atividade literária não pode ter a pretensão de desenrolar-se dentro de molduras literárias – isso, pelo contrário, é a expressão usual de sua infertilidade. A atuação literária significativa só pode instituir-se em rigorosa alternância de agir e escrever; tem de cultivar as formas modestas, que correspondem melhor a sua influência em…

leia mais